Contribuições da cápsula e do lábio acetabular para a mecânica do quadril no contexto da frouxidão ligamentar

Este artigo foi publicado recentemente na revista “The Orthopaedic Journal of Sports Medicine”. Ele é parte da pesquisa que realizei em Stanford durante meu pós-doutorado sobre a microinstabilidade (frouxidão ligamentar) do quadril.

Contexto: A micro-instabilidade do quadril e a patologia labial são condições comumente tratadas, e a pesquisa nesta área vem crescendo muito. Ainda há limitação no nosso entendimento sobre os efeitos biomecânicos dos efeitos da cápsula do quadril e do lábio acetabular no controle do movimento da cabeça femoral

Objetivo: O  propósito deste estudo foi determinar o papel relativo da cápsula anterior do quadril e da insuficiência labial na micro-instabilidade anterior do quadril. Nossa hipótese era: (1) lesões labiais terão mínimo efeito no movimento da cabeça femoral no estado de cápsula intacta, e (2) a cápsula e o lábio trabalham de maneira sinérgica no controle da estabilidade do quadril

Desenho do estudo: Estudo controlado de laboratório

Métodos: 12 quadris pareados de 6 pelvis cadavéricas (idade 18-41 anos) foram incluídos no estudo. Os quadris foram dissecados de todas suas partes moles com exceção da cápsula do quadril e lábio. Foram então alinhados, cortados e colocados num aparelho customizado. Um sistema de teste de materiais foi usado para alongar ciclicamente a cápsula anterior do quadril em extensão e rotação externa, seguindo o eixo mecânico do quadril. A insuficiência labial foi criada com um lesão radial do labrum, combinada com uma separação condro-labial. Um sistema de análise de movimento foi utilizado para gravar a rotação interna e externa do quadril e o deslocamento da cabeça femoral em relação ao acetábulo nas direções, anterior-posterior, medial-lateral, e superior-inferior. Variáveis de teste incluíram a basal, pós ventilação, pós alongamento da cápsula, e pós insuficiência labral.

Resultados: Ao comparar o estado ventilado com cada estado patológico, aumentos no movimento da cabeça femoral foram notados tanto no estado de frouxidão ligamentar quanto no estado de insuficiência labial. O estado combinado de insuficiência labial e frouxidão ligamentar produziu um aumento estatisticamente significativo (P<.001) na translação da cabeça femoral em comparação com o estado ventilado em todos planos de movimento.

Conclusão: Tanto a cápsula anterior quanto o lábio apresentam um papel na estabilidade do quadril. Neste estudo, a cápsula anterior do quadril foi o estabilizador primário da translação da cabeça femoral, mas lesões labiais no contexto de frouxidão ligamentar resultaram nos maiores aumentos do deslocamento da cabeça femoral

Relevância clínica: Este estudo proporciona uma avaliação biomecânica fisiológica dos restritores do quadril no contexto da microinstabilidade do quadril. Ele também avalia a importância da cápsula do quadril no manejo da lesão do labrum acetabular. Nosso estudo demonstra que lesões labrais isoladas causam mínima mudança no deslocamento da cabeça femoral, mas no contexto de uma cápsula deficiente, aumentos significativos na translação da cabeça femoral são visualizados, que podem resultar em sintomas relacionados à articulação.

Link para pdf do artigo