ortopedista itaim quadril

Consultório ortopedista especialista em quadril no Itaim

O Dr Leandro Ejnisman é ortopedista especialista em quadril no Itaim. Seu consultório fica na Rua Joaquim Floriano 413 – 9o andar na Livance. A Livance é um co-working para profissionais de saúde, onde atendem médicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, etc. O ambiente é moderno e agradável, temos certeza que você irá gostar.

Se você tem uma dor no quadril, é importante uma avaliação adequada do seu problema. O ortopedista especialista em cirurgia do quadril pode te ajudar a investigar sua dor e chegar ao seu diagnóstico. Após o diagnóstico adequado, o tratamento irá começar, e pode ser baseado em diversos métodos: medicação, fisioterapia, infiltrações e eventualmente cirurgia. Se o seu caso for cirúrgico, o Dr. Leandro Ejnisman é cirurgião de quadril, com vasta experiência em casos complexos, possuindo mais de 10 anos no Hospital das Clínicas da Universidade de são Paulo.

Agende sua consulta com o Dr Leandro Ejnisman no consultório do Itaim de maneira online. E em caso de dúvidas, fique a vontade para entrar em contato pelo formulário no fim da página.

quanto tempo dura protese total de quadril

Quanto tempo dura uma prótese de quadril?

“Quanto tempo dura uma prótese de quadril?” Esta é uma das perguntas mais comuns que um cirurgião de quadril ouve em seu consultório no dia a dia. Quando um paciente está planejando submeter-se a uma cirurgia é natural que ele queira saber quanto tempo sua cirurgia vai durar.

O primeiro ponto que gosto de explicar aos pacientes é que a prótese de quadril não é suco de laranja, não tem data de validade. O que eu quero dizer com isso? Muitas pessoas pensam que após um determinado tempo, a prótese deverá ser trocada, independente do seu estado. Isto não é verdade. Após a realização da prótese de quadril, o paciente deverá realizar acompanhamento periódico de seu implante com radiografias. Desta maneira, algum desgaste poderá ser detectado inicialmente, e tratado de maneira mais precoce, diminuindo muito a complexidade da cirurgia de revisão (troca) dos componentes.

A troca será necessária quando algum dos componentes apresentar alguma forma de desgaste ou quebra, ou quando o osso ao redor da prótese estiver desgastado. Diversos fatores influenciam no tempo que isto demora para ocorrer. O grau de atividade do paciente é um dos fatores que influenciam. Além disso, força muscular, doenças associadas e qualidade da prótese implantada também influenciam na durabilidade da prótese total de quadril.

Mas afinal, quanto tempo dura uma prótese de quadril? Um trabalho recente publicado na Revista Científica Lancet estudou esta pergunta corriqueira. Trata-se de uma meta-análise, um trabalho científico que junta os resultados de outros trabalhos publicados. Quarenta e quatro artigos, totalizando mais de 13 mil próteses de quadril, foram incluídos. Destas artroplastias de quadril foram encontrados as seguintes taxas de sobrevida das próteses: 15 anos – 85,7% / 20 anos – 78,8% / 25 anos – 77.6%. Isto quer dizer que após 15 anos 85,7% dos pacientes não precisaram fazer cirurgia de revisão de prótese de quadril. O artigo do Lancet também analisou o resultado de registros nacionais de prótese. Esta análise incluiu mais de 200 mil próteses e encontrou números similares: 15 anos – 89,4% / 20 anos  – 70,2% / 25 anos – 57,9%.

Estes números são bastante animadores, mas é importante lembrar que um estudo que analisa a duração de uma prótese total de quadril após 25 anos, analisa o resultado de próteses realizadas há mais de 25 anos, portanto com uma tecnologia inferior a atual. Acreditamos que estes números serão ainda melhores no futuro, mas só com o acompanhamento destes implantes por anos a fio que poderemos responder esta pergunta.

Como conclusão, vemos que a prótese total de quadril apresenta uma duração excelente no longo prazo, com potencial de aumentar ainda mais no futuro. Também vemos a importância de um acompanhamento adequado da prótese de quadril após sua realização.

Em caso de dúvidas, agende sua consulta

Fonte: How Long does a hip replacement last? A systematic review and meta-analysis of case series and national registry reports with more than 15 years of follow-up. Lancet 2019; 393:647-54 Link para o artigo

duracao protese quadril

protese quadril anterior

Prótese de quadril menos invasiva: acesso anterior direto

A prótese de quadril foi considerada a cirurgia do século XX pela revista Lancet. Ela é extremamente eficaz para diminuir a dor dos pacientes que sofrem com artrose (desgaste) do quadril. Os resultados da prótese são excelentes, e os pacientes retornam a sua atividade de vida diária sem dor, e muitos inclusive retornam ao esporte.

Na busca por um resultado ainda melhor, uma técnica menos invasiva conhecida como “via anterior”ou “acesso anterior direto” foi desenvolvida. Uma via cirúrgica é o “caminho”que o cirurgião faz para chegar na articulação. Tradicionalmente, as vias utilizadas na prótese de quadril são a lateral (pelo lado) e a posterior (por trás). Na via lateral é necessária o descolamento (desinserção) do músculo glúteo médio, enquanto na via posterior realiza-se o descolamento dos músculos rotadores externos. Em ambos os casos, os tendões são recolocados no lugar o término da cirurgia.

Já na via anterior, os músculos são apenas afastados. Como não há descolamento dos músculos, a recuperação do paciente é facilitada. Os pacientes apresentam menos dor no pós operatório inicial, e recuperam-se mais rápido. Os índices de luxação (quando a prótese  desencaixa) são muito baixos nesta técnica, permitindo que os cuidados no pós operatório inicial sejam menos rigorosos.

Em 2016, visitei o Prof Kristoff Corten na Belgica, referência mundial nesta técnica; e desde então tenho realizado prótese de quadril por via anterior com resultados excelentes. Os pacientes ficam muito satisfeitos e impressionados com a própria recuperação.

É importante a avaliação de cada caso de desgaste. Alguns pacientes com quadros muito avançados não são bons candidatos para esta técnica. Desvantagens desta via incluem: uma cicatriz menos estética, e a possibilidade de uma diminuição da sensibilidade da parte lateral da coxa. Porém, acredito que as vantagens da via anterior são maiores que estas desvantagens.

Resumindo, a prótese total de quadril tem excelentes resultados no tratamento da dor do paciente com desgaste do quadril. A via anterior vem melhorar ainda mais estes resultados e possibilitar um retorno mais rápido às atividades. Para maiores informações agende sua consulta.

Inovacao Saude

Hackmed E-Conference: Futuro Pós-COVID

FUTURO PÓS-COVID: Precisamos falar sobre isso. Que as coisas nunca mais serão as mesmas, não há dúvidas. Mas o que esperar da “nova normal”? Reuniremos grandes lideranças das áreas de saúde, tecnologia, inovação e empreendedorismo para discutir o assunto.

Todos já estamos e continuaremos sentindo os efeitos da pandemia por muito tempo, por isso precisamos tirar os melhores aprendizados, a fim de nos preparar para construir um futuro melhor #somostodospacientes

SAVE THE DATE: 30/05/20, no nosso canal (Hackmed) no YouTube

Incrições no Link

Eu farei parte do painel de abertura do evento:

Mesa de Abertura Confirmada 🚀

👁 Dois grandes nomes do mundo empresarial e empreendedor nacional compartilham sua visão sobre o período da pandemia e o que enfrentaremos a seguir, nesta mesa moderada por Claudio Mifano e nosso Co-Fundador Dr. Leandro Ejnisman . São eles:

💡 Jorge Paulo Lemann, grande empresário e empreendedor brasileiro, inspiração para executivos e jovens talentos. Com as Fundações Fundação Lemann e Fundação Estudar, ele aposta na educação como meio de solução para os importantes desafios sociais do Brasil.

🦄 Priscila Siqueira, CEO Brazil da Gympass, um dos unicórnios brasileiros, startup cujo propósito é combater o sedentarismo e melhorar o estilo de vida e a saúde das pessoas.Hackmed Inovação

 

carreira medica

Desafios na carreira médica: Live no Instagram

Ontem participei de uma live sobre “Desafios na Carreira Médica” no Instagram da Livance, onde conversei com o sócio-fundador Claudio Mifano. Foi um bate papo bem agradável e interessante, que agora está disponível no IGTV da Livance (link abaixo).

Antigamente, bastava ao médico abrir um consultório e esperar os pacientes virem. Com o aumento no número de faculdades e residências médicas, a competitividade no setor aumenta cada vez mais. Uma boa formação continua sendo o fundamento de uma carreira médica sólida, mas outros aspectos vem ganhando espaço.

Planejar a carreira é essencial. O médico deve pensar qual a função de cada lugar que ele trabalha. É um plantão só para ajudar na renda? Ok, mas tenha consciência sobre isso. É a clínica onde você se enxerga trabalhando em 5 anos, dedique-se a ela! Não se deixe levar pelas dificuldades do dia a dia, sempre pare para avaliar e planejar.

A presença digital também é uma maneira de aumentar o número de pacientes. Um bom site e um instagram interessante aumentam sua visibilidade. Pessoalmente, também acho o LinkedIn e o YouTube boas plataformas para maior interação com outros profissionais e potenciais pacientes. É importante planejar sua presença digital, ter um plano de ação e disciplina para alimentar a rede.

Assistam a live, espero que gostem.

View this post on Instagram

Diferenciais na área da saúde.

A post shared by Livance Consultórios (@livanceconsultorios) on

 

Sete dicas para evitar lesões no ski/snowboard

Os esportes de neve como o ski e o snowboard estão cada vez mais populares entre os brasileiros. Infelizmente, as lesões nestes esportes são comuns, e nesta época do ano recebemos vários pacientes que se lesionaram nos EUA e Europa. Sete dicas para evitar lesões:

  1. Antes de viajar cheque se o seu convênio cobre lesões esportivas. Nem todos cobrem! Se você não tem convênio médico, adquirir um é essencial antes da viagem. Muitos países não tem atendimento público, e as contas podem ser absurdamente altas. Alguns seguros especializados em viagens saem barato em comparação com os custos totais da viagem.
  2. Ski/snowboard não são passeio, são esportes muito intensos. Prepare-se corretamente antes da viagem, esteja em forma. Algumas academias e clínicas de fisioterapia inclusive tem programas específicos, com foco em fortalecimento de membros inferiores, saltos e propriocepção
  3. Se você é iniciante, faça aulas. Não se aventure sozinho! Existem técnicas para auxiliar no aprendizado. Isto facilitará sua progressão e diminuirá os riscos
  4. Compreenda que lesões ocorrem em todos os níveis de praticantes, desde iniciantes até experientes. Portanto não pense que se você for “apenas brincar um dia”, você está isento. Esteja preparado, mesmo que para um dia.
  5. Respeite os sinais de cansaço do seu corpo! A maior parte das lesões acontecem no fim do dia. “Era a última descida doutor…”
  6. Mesmo com todos estes cuidados, lesões podem ocorrer. Se sua viagem tem duas partes,  coloque o ski por último. Se uma lesão ocorrer, o transtorno vai ser menor
  7. Curta muito! Esportes de neve são sensacionais! 

Aulas do Evento Impressão 3D em Ortopedia – Hospital Albert Einstein

Hoje, dia 28 de agosto de 2019, ocorre na Eretz.Bio o evento Impressão 3D na Ortopedia. Será com certeza um evento muito bacana sobre os avanços desta área tão interessante e inovadora, contando com grandes palestrantes.

Eu darei 2 aulas: ” Abrindo a Cabeça para Inovação” e “Implantes Customizados para Ortopedia”. Deixo aqui disponível os pdfs das aulas para download. Também coloquei um link para um arquivo no google drive com artigos científicos sobre implantes customizados em ortopedia.

Espero que gostem. Grande abraço!

Aula Abrindo a Cabeça para Inovação

Aula Implantes Customizados na Ortopedia

Arquivo com Artigos Científicos sobre Impressão 3D

Aulas do Congresso Brasileiro de Trauma do Esporte 2019

 

 

 

Nos dias 16 e 17 de agosto ocorre no Rio de Janeiro o congresso da SBRATE (Sociedade Brasileira de Trauma do Esporte). Evento que sempre é de alto nível e muito proveitoso. Nos 2 dias de evento, ortopedistas e médicos do esporte discutem diversos aspectos da prevenção e tratamento das lesões esportivas.

 

Apresentarei 2 aulas sobre lesões esportivas do quadril: “Os Desafios no Diagnóstico e Tratamento da Pubalgia nos Atletas” e “Impacto Femoroacetabular – Tênis”. Compartilho aqui o pdf das duas apresentações. Espero que seja uma leitura útil e proveitosa.

 

Grande abraço,

Leandro

 

Aula SBRATE Pubalgia Leandro Ejnisman 2019

Aula SBRATE IFA Tenis Leandro Ejnisman 2019

Microinstabilidade do quadril: uma causa pouco conhecida de dor

A micronstabilidade do quadril é uma doença que foi descrita recentemente. Ela é causada por uma frouxidão dos ligamentos do quadril, principalmente do ligamento da frente, conhecido como iliofemoral. Não se sabe ao certo a causa desta frouxidão mas ela ocorre em pacientes com frouxidão ligamentar generalizada (pessoas com muito alongamento), e pessoas que praticam atividades físicas com muita extensão e rotação do quadril, como o ballet.

A microinstabilidade do quadril é muito mais frequente em mulheres. A queixa principal é dor. A paciente também pode sentir o quadril desencaixado, ou que o quadril sai do lugar. Estalos também são frequentes.

O diagnóstico é feito com a história, exame físico, radiografia e ressonância magnética. O tratamento inicial é feito com repouso, medicações anti-inflamatórias e fisioterapia. Na fisioterapia, o foco principal é o fortalecimento muscular, que ajudará na estabilização pélvica e do quadril. Na falha do tratamento conservador, está indicada a cirurgia. Na artroscopia do quadril a lesão do lábio acetabular (que normalmente acompanha a microinstabilidade) é reparada. Em pacientes que possuem impacto femoroacetabular associado à microinstabilidade, as deformidades são corrigidas. Por fim, uma plicatura capsular trata a microinstabilidade através do retensionamento dos ligamentos do quadril.

A microinstabilidade foi o principal foco do meu pós-doutorado ano passado em Stanford (EUA). Publicamos um artigo sobre a microinstabilidade na Newsletter da ISAKOS (Sociedade Internacional de Traumatologia Esportiva) que está anexado nesse post. Também estudamos os resultados do tratamento nã0-cirúrgico da microinstabilidade, e os resultados clínicos após 5 anos do tratamento cirúrgico. Mais de 60% dos pacientes foram tratados com sucesso com a fisioterapia, sem necessidade de cirurgia. Os resultados clínicos do tratamento cirúrgico se mantém excelentes após 5 anos de acompanhamento.

Artigo na Newsletter da ISAKOS (página 34)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Impressão 3D na Ortopedia

Gostaria de convidar para o evento “Impressão 3D em Ortopedia” que será realizado dia 28/08 na Eretz.Bio (incubadora de start-ups do Hospital Albert Einstein). Vai ter muita gente boa falando sobre este assunto inovador e promissor.

Eu darei 2 palestras: “Abrindo a cabeça para inovação” e “Implantes customizados para ortopedia”.

A inscrição é de graça e pode ser feita no link abaixo.

Esperamos vocês lá!

Abraço

https://www.sympla.com.br/impressao-3d-na-ortopedia__583721