Posts

mulher ortopedia

Lugar de mulher é na ortopedia: Ana Mazeto

Como é a ortopedia para uma mulher? A Ana Mazeto é aluna de medicina do 8o semestre da UNIFENAS de Belo Horizonte, e ela pretende ser ortopedista.

Recentemente, ela contou para os seguidores dela no Instagram que ela quer ser ortopedista e muita gente achou estranho. Infelizmente, muita gente ainda vê ortopedia como uma especialidade para homens. Conversamos com a Ana para saber porque ela escolheu ortopedia e como ela enxerga a mulher na ortopedia.

Neste episódio, fizemos algo diferente. A Ana também nos perguntou as dúvidas dela sobre ortopedia. Ela também trouxe perguntas dos seguidores dela do Instagram sobre ortopedia.

Não esqueça de nos seguir na sua plataforma preferida de podcast e no Instagram . Também nos assista no YouTube

Siga também a Ana no YouTube e no  Instagram

 

residencia ortopedia estados unidos

Um ortopedista brasileiro nos Estados Unidos

Muitos ortopedistas brasileiros pensam em como seria trabalhar nos Estados Unidos. No sexto episódio do “Muito Além do Gesso”, o Podcast da Ortopedia, conversamos com Cesar de Cesar Netto.

Cesar, conhecido como Pinhal, fez residência de ortopedia no IOT-HCFMUSP, onde também fez especialização em pé e seu doutorado. Atualmente é médico na Universidade de Iowa nos EUA.

Neste episódio, o Cesar nos conta como foi sua trajetória, como é sua vida como ortopedista nos EUA, e dá dicas para quem pensa em algum dia mudar para os EUA.

Gostou do nosso episódio? Não esqueça de deixar seu review na sua plataforma preferida de podcast, e de nos seguir no Instagram

www.instagram.com/podcast.ortopedia/

Residencia medica ortopedia

Residência médica em ortopedia: 3 ou 4 anos?

A residência médica em ortopedia e traumatologia atualmente dura 3 anos. Há uma discussão corrente na comunidade ortopédica se a residência deveria aumentar para 4 anos. No quinto episódio do “Muito Além do Gesso”, o Podcast da Ortopedia; os apresentadores Leandro Ejnisman, Andre Wajnsztejn e Noel Oizerovici discutem sobre esse tema polêmico.

Faz sentido pensar que quanto mais tempo de preparação na residência médica em ortopedia, melhor vai ser o aprendizado do aluno. O conteúdo em ortopedia aumentou muito com o desenvolvimento de novas técnicas cirúrgicas, descoberta de novas doenças e explosão no número de artigos científicos. Em outros países da América do Norte e Europa, a residência de ortopedia já é mais longa, chegando a 5 ou 6 anos dependendo do país.

Por outro lado, muitos residentes de ortopedia já fazem especialização após a residência médica, que pode durar de 1 a 2 anos. Os residentes já querem começar sua vida profissional e não aguentam mais não ter independência.

Qual a opinião dos nossos apresentadores? Assista o episódio e você saberá!

Não se esqueça de nos seguir no Instagram

Paulo Muzy Muito Alem do gesso

Episódio “Um ortopedista gigante: Paulo Muzy”

Paulo Muzy é o convidado especial do quarto episódio do “Muito Além do Gesso”. Ele é ortopedista formado pela UNIFESP.

Atualmente é responsável técnico pela Clínica Muzy, professor titular de ciências do Exercício da Escola Paulista de Ciências Médicas e médico da IFBB (International Federation of Bodybuilding and Fitness. Além de ortopedia, Paulo Muzy também trabalha com desempenho esportivo.

Confira nosso bate papo, onde contamos histórias da residência, começo de carreira, consultório e muito mais. Foi uma bela resenha!

Não esqueça de seguir nosso podcast e e curtir nossa página no  Instagram

Instagram Paulo Muzy
YouTube Paulo Muzy

Ortopedia R4

Episódio “Acabei o R4, e agora?”

Sempre ouvimos de quem termina a residência de ortopedia: Acabei o R4, e agora? O novo episódio do Muito Além do Gesso, o Podcast da Ortopedia está no ar e trata sobre essa questão.

De quando entramos na faculdade de medicina até o término da nossa residência temos um caminho claro. É um caminho difícil, com uma série de dificuldades, provas disputadas e incertezas. Mas aonde queremos chegar é certo. Com o fim da especialização há uma sentimento de dúvida, qual o próximo passo?

Há várias opções: pós graduação, “cair na vida”, se vincular a um serviço acadêmico, entrar na equipe de algum chefe. Nesse episódio Leandro, Andre e Noel contam um pouco da sua experiência, seus erros e seus acertos.

Não se esqueça de seguir o podcast no Instagram